O escritor argentino Ernesto Sabato, 83, chega ao Brasil no próximo dia 14 para uma visita programada de seis dias. Sábato vem a convite do Instituto Cultural Brasil-Argentina. Uma mostra com 33 de seus quadros será aberta no Museu de Arte de São Paulo, o Masp, no dia 17.

A exposição de suas telas, que críticos espanhóis chamaram de “arte de exorcista”,   e “de uma reflexão dos abismos infernais da alma humana”, irá até o dia 17 de setembro.

Os quadros têm muitas vezes um fundo escuro, de onde se destacam figuras humanas esquálidas, máscaras de olhos brilhantes e bocas abertas, gritando. São obras pequenas, óleos sobre tela, madeira ou cartão, pintadas em um cavalete de madeira que o escritor tem em seu ateliê.

Sabato, considerado um dos maiores, se não o maior escritor contemporâneo de seu país, pinta há muitos anos, mas quase nunca expôs seus trabalhos. São Paulo será a terceira cidade do mundo, depois de Paris e Madri, onde os quadros serão vistos.

O escritor vive com sua mulher Matilde Kusminsky-Richter, com quem está casado há 50 anos, em uma antiga casa em Santos Lugares, uma cidade há meia hora de trem de Buenos Aires.

A casa é cercada por um jardim, com “árvores centenárias”, como ele diz aos visitantes. “Nunca arrumo o jardim, nunca retiro as folhas que caem, deixo que a natureza faça o que tem de fazer”.

Sabato sofreu um problema na vista durante alguns anos e temia-se que não pudesse voltar a escrever. “Meu ateliê era aqui”, mostrando uma parte de seu escritório de trabalho, na parte de trás da casa, “mas progressivamente aumentei meu trabalho com as telas e tive que montar um espaço só para elas”.

Hoje em dia o ateliê ocupa uma área de cerca de 50 metros quadrados, construída ao lado do escritório atulhado de livros de arte, onde Sabato há mais de 50 anos escreve seus livros e artigos.

Há uma ordem extrema em tudo. O escritor dá a entrevista com tranquilidade, mas repete a todo momento que está cansado. “Afinal, tenho 83 anos, e depois a saúde de minha mulher não permite que eu assuma muitos compromissos.” Sabato e Matilde se conhecem desde os anos 30, quando lecionava marxismo em um colégio de La Plata. Têm dois filhos, Jorge e Mario.

“Moro nesta casa desde o fim dos anos 30. Uma de minhas netas, arquiteta, está me ajudando, construindo uma edícula no fundo do terreno, uma parte de uma grande propriedade que havia aqui antigamente”.

Esta será sua segunda visita a São Paulo. Em outubro de 1986 esteve na cidade alguns dias, e deu uma palestra na Folha.

Na época ainda era recente sua passagem como presidente da Conadep, a comissão oficial, nomeada pelo ex-presidente Raúl Alfonsín, que investigou o desaparecimento durante o último regime militar no país (1976 – 1983).

A atual visita servirá também para que o escritor receba o título de doutor “honoris causa” na Universidade de São Paulo. Sabato também será homenageado pela Universidade de Campinas.

Sabato também terá um encontro com o cardel-arcebispo de São Paulo, dom Paulo Evaristo Arns, e participará de um debate do Grande Auditório do Masp. O encontro no Masp será realizado no dia 18, às 19h.

LEIA MAIS
sobre Sabato e sua obra à pág. 5-5

Fonte: Folha de S.Paulo 04/08/1994